Falta de estrutura prejudica alunos

Posted on 03/06/2009 por

0


Por Aila Lima | Foto: Rafael Ribeiro

Localizada em Nova Brasília, a Escola Estadual Vera Lux vem sofrendo com problemas de espaço desde o inicio do ano letivo, pois houve a expansão de matrículas da quinta série sem a ampliação da quantidade de salas.

Segundo Eliana Carvalho, diretora de organização e atendimento escolar da secretaria estadual de educação, a rede municipal não foi capaz de comportar esse número, e os alunos foram matriculados na rede estadual. “A falta de expansão do ensino fundamental da rede municipal impede o estado de expandir o ensino médio”, diz Eliana.

A assessoria de comunicação da secretaria municipal informou que é responsável apenas pelas creches e pelo ensino fundamental de primeira à quarta série e que a maioria das escolas não atende a quinta série.

Além disso, a escola Vera Lux lida com a falta de professores, pois muitos deles pertencentes ao Programa de Serviços Temporário (PST) e ao Regime Especial de Direito Administrativo (REDA) não quiseram renovar os seus contratos, afirma Ivanildes Brandão, vice-diretota da Vera Lux.

Para minimizar o problema, está sendo feito o remanejamento de professores pela secretaria de educação para a escola de Nova Brasilia, porém como ainda não foi publicado no diário oficial ainda não foram liberados, diz Brandão.

O professor de língua portuguesa Jorge Araújo Júnior afirma que a secretaria de educação do estado prometeu um anexo quando liberou alunos a mais, porém até agora nada foi feito.

Eliana Carvalho disse que negociou com a Assembléia de Deus a liberação de um espaço para a escola, sem qualquer custo. Entretanto este está passando por uma pequena reforma e no dia 13 de abril iniciarão as aulas, na nova sede.

Para amenizar a situação a escola adotou o sistema de rodízios entre séries. Os professores realizam atividades programadas, não presenciais, pois não há salas. As turmas B,C,F e G da quinta série e a sexta fazem rodízios durante à tarde.

Além da super lotação, os alunos sofrem com o calor, pois algumas salas não possuem ventilador. “Faz muito calor aqui, não tem como uma sala de 30 alunos agüentar, alguns alunos até passam mal”, diz Jorge. Ainda segundo ele, os alunos têm que dividir os livros, pois não há material suficiente para todos.

De acordo com a assessoria de comunicação da secretaria estadual de educação, dois ventiladores, um fogão e três quadros brancos estão no financeiro para serem liberados para compra. No dia 16 de janeiro de 2009 foram disponibilizadas 150 carteiras Quanto aos livros não foi apontada nenhuma necessidade pelo diretor.

Anúncios
Posted in: EDUCAÇÃO