Esporte incentiva aprendizado em escola pública

Posted on 25/09/2008 por

1


por Vivianne Ramos

A Educação Física é matéria obrigatória nas escolas públicas e privadas, mas nem sempre recebe a verdadeira atenção merecida. Isso ocorre muitas vezes por falta de incentivo das próprias escolas ou desinteresse dos alunos. No caso do Colégio Estadual Eraldo Tinoco, única instituição com Ensino Médio do bairro de Sete de Abril, acontece justamente o contrário.

Com um número elevado de alunos por turma e uma quadra com dimensões reduzidas, as aulas de Educação Física não conseguem atender ao grande interesse dos alunos por sua prática, que serve como um estímulo adicional para freqüentar a escola. Paulo Edson é um dos quatro professores que trabalham na instituição e lamenta por não haver um maior incentivo ao esporte, tanto na instituição, por falta de apoio do governo, quanto na periferia em geral. “A quadra daqui é pequena e o Estado não aplica verba para fazer um ginásio na periferia”, comenta.

As aulas de Educação Física do colégio, que ocorrem duas vezes por semana, são constituídas de elementos que vão além da prática de jogos, como o futebol. Os professores tentam aproveitar o tempo da disciplina para explicar aos alunos a importância da prática de esportes, dar dicas de saúde e até noções de Ética. Edson acredita que envolver a educação física com outros temas, também importantes ao conhecimento dos alunos, torna mais fácil a aprendizagem dos assuntos abordados. “O esporte consegue sociabilizar, disciplinar e educar a pessoa. Gasta-se pouco, mas tem um cunho social muito grande”, diz.

A coordenadora do Eraldo Tinoco, Nolinalda Santos, também sente por os alunos se interessarem tanto pela prática de esportes, mas não ter o espaço necessário. “Não é como a gente gostaria”, comenta. Edson, além de professor, já foi jogador de futebol, preparador físico e agora é treinador da seleção baiana de futebol de areia e defende que “se você trabalhar seu corpo, a tendência é você melhorar em tudo”, evidenciando a importância da prática de atividades físicas, não só para os seus alunos.

Segundo Tempo – Está em andamento um projeto realizado pelo juizado de menores, chamado de Segundo Tempo, o qual tem como objetivo a recreação e a sociabilização dos alunos, ocorrida no turno oposto às aulas. “A Educação Física é obrigação, porque faz parte do currículo escolar. Já o projeto, vem quem realmente quer e gosta, por opção”, diz Marlene Caldas, vice-diretora da escola, sede do projeto na comunidade.

Para os moradores de Sete de Abril, enquanto o tão sonhado ginásio de esportes não é construído, resta-lhes aproveitar as pequenas quadras do colégio e da creche ou o campo que já foi palco para campeonato de futebol da comunidade, extinto por problemas internos.

Anúncios
Posted in: EDUCAÇÃO, ESPORTE