Índice de violência é menor na EVA

Posted on 10/09/2008 por

0



por George Ribeiro

Autoridades das polícias civil e militar, responsáveis pela segurança na área da Estrada Velha do Aeroporto (EVA), asseguram que os registros de violência na região é pequeno comparado ao total de ocorrências divulgadas pela Secretaria de Segurança Pública.


Segundo os dados mais recentes do Cedep – Centro de Documentação e Estatística Policial, da Secretaria de Segurança Pública, o número de homicídios subiu de 967 em 2006 para 1337 em 2007. Salvador é considerado o 4º município mais violento do Brasil, segundo pesquisas divulgadas pela Rede de Informação Tecnológica Latino-Americana – RITLA, juntamente com os ministérios da Saúde de da Justiça.


O Major Roberto Pinto, comandante da 50ª Companhia Independente de Polícia Militar (50ª Cipm), atribui o aumento da violência ao crescimento do tráfico de drogas. “Em Salvador existem focos de violência resultantes da proliferação do tráfico e é isso que temos combatido”, declara.


A Companhia é responsável pelo policiamento da região da EVA e conta com um total de 116 militares e seis viaturas. Segundo o Major, esse número tem sido suficiente para manter a violência em níveis suportáveis.


A 10ª Circunscrição Policial, em Pau da Lima, chefiada pela delegada titular Laura Maria Argolo é responsável pelos bairros da Estrada Velha e mais alguns bairros como Vila Canária e São Marcos. “Não considero a 10ª uma delegacia de área crítica. Eu diria que em relação às demais ela tem suas peculiaridades”, afirma o delegado plantonista Antônio Cardoso Júnior.


Uma dessas peculiaridades é o alto índice de homicídios registrados, entre 15 e 20 por mês. No entanto, ele afirma que menos de 10% desses crimes ocorrem em bairros da Estrada Velha como Sete de Abril e Jaguaripe II. A maior parte das ocorrências está concentrada em Pau da Lima e Calabetão.


Segundo Antônio Cardoso Júnior, um dos problemas enfrentados pela Polícia Civil na Bahia é a superpopulação carcerária. “Em uma cela com capacidade para 16 homens estão atualmente acomodados 40, todos eles presos por ordem judicial e auto de prisão em flagrante”, garante o delegado plantonista.


Para o presidente do Conselho de Moradores de Jaguaripe II (Comorja), Josué Firmo, a integração dos setores organizados da sociedade é o caminho para diminuir a violência. “Estou planejando fazer um seminário que reúna a comunidade e diversos representantes do governo para discutir e apontar soluções para o problema da violência”, diz.

Anúncios
Posted in: CIDADE